Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Diário de Rabiscos

Um Diário de Rabiscos

Memórias de Infância

26.09.19, Bia ❤️

Tive uma infância muito feliz. Muitos primos para brincar. Muitos tios e tias que ainda eram solteiros e viviam em casa dos meus avós. Recordo-me de várias coisas. Que me fazem sorrir. 

 

Lembro-me que aos sábados eu e a minha prima íamos a casa dos nossos avós acordar o tio M., que tinha passado a noite na má vida... Chegávamos ao quarto, tirávamos-lhe os cobertores e gritávamos:

- Estique lá piece!!! (não me perguntem o que isto significa) 

 

Recordo-me da minha avó fazer ovos estrelados para as minhas tias, eu sentava-me no colo delas, ia buscar pão e deliciava-me a molhar o pãozinho no ovo... 

 

Lembro-me de os meus avós irem a passeios e levarem o farnel. Quando chegavam a casa, eu e a minha prima lá íamos ver se tinham sobrado panados para nós comermos. 

 

Recordo-me das minhas tias irem servir em casamentos de família. Nós íamos também, ainda pequenas, e ajudávamos no que podíamos. 

 

Lembro-me de brincar no jardim da avó, com os primos, os da minha idade. Não havia telemóveis, nem tablets, éramos só nós, e era uma risota total. Ia muitas vezes a correr para a casa de banho quase a fazer xixi nas cuecas...

 

Lembro-me de um teatro que nós improvisamos no sótão, e depois apresentamos à família.

 

Lembro-me do ser fantástico, o Chiquinbem, que nós inventamos para assustar os primos pequenos...

 

Lembro-me de uma vez os rapazes terem tirado a parte de cima do biquíni à S., e ela ter saído a correr enrolada na toalha...

 

Lembro-me de brincar muito com o Z., o R. e a S., eram os meus melhores amigos. Passávamos sábados inteiros juntos, a brincar na casa dos avós. A tudo e mais alguma coisa. Não queríamos saber das nossas mães, nem de comer, nem de nada. Só queríamos brincar, e aproveitar o tempo todo, antes de irmos embora. 

 

Recordo-me da boa ansiedade que sentia, quando sabia que no dia a seguir àquele ia estar com os meus primos e ia poder brincar com eles. Tal era a excitação, que quase não dormia...

 

Recordo-me de quando as minhas tias começaram a ter as suas casas, eu e a S. fazíamos a inauguração. Íamos lá dormir e tomar banhos cheios de espuma nas novas banheiras... E ainda nos faziam a comida que nós queríamos. Paraíso na terra. Uma vez, na casa do tio M., escondemos-nos na despensa, à espera que ele chega-se do trabalho, quando foi arrumar os sapatos, nós saltamos de lá!  

 

Lembro-me que houve um dia em que a minha tia C. juntou os primos todos em casa dela. Houve cinema com pipocas carregadas de açúcar na sala da televisão, mousse de chocolate, jogos de futebol na relva. Tudo de bom e do melhor. 

 

Recordo-me de fazer gelados de limão, com a S. e o Z. Era o que havia. Fazíamos, colocávamos no congelador, e no minuto a seguir já queríamos que estivesse pronto... 

 

Lembro-me que uma vez estava a divertir-me tanto no sótão que não queria de lá descer nem por nada. Nem para fazer xixi. Por isso, fiz xixi no sótão. Num baldinho. Acho que aquilo não deve ter corrido muito bem. No minuto a seguir, estava a minha mãe a ralhar comigo para eu ir limpar aquilo. 

 

Recordo-me que eu e a minha prima S. éramos um pesadelo para comer. Não queríamos comer. Então, lá ia o meu tio bater na janela para nos assustar. A fazer-se passar pelo "Siela". O "Siela" é um homenzinho que anda sempre a vaguear pela freguesia, com um aspeto muito duvidoso... Nós tínhamos-lhe um medo!!! 

 

Lembro-me de um dia, num ato de loucura, eu e uns vizinhos decidimos que era boa ideia atirar umas pedritas aos carros que passavam... Escusado será dizer que levei um raspanete daqueles da minha mãe!!! 

 

Recordo-me que às vezes íamos passear com o avô de autocarro. Uma vez, tivemos que nos ir confessar com ele a uma igreja... 

 

Lembro-me que quando éramos pequenos, no verão, havia sempre uma piscina, nem que fosse mesmo pequenina. Servia sempre para nos divertirmos. E até tomar banho às vezes. Temos uma foto cheios de espuma dentro da piscina. 

 

Recordo-me dos nossos triciclos, tão giros que eram. Ainda tenho o meu. Os miúdos mais novos já andaram nele tantas vezes. 

 

Lembro-me de eu e a S. termos mamado no biberão durante muito tempo. Temos ali uma foto em que o Z. está a comer um iogurte, como gente crescida. E eu e a S. estamos de biberão em punho a beber leite.

 

Lembro-me de uma vez, na cozinha da avó, termos fechado a porta, com o gato lá dentro. E pobre gato... Andamos a assustá-lo com o mata-moscas do avô... Tivemos foi muita sorte ele não nos ter arranhado.

 

Os gatos sempre fizeram parte da nossa infância. Uma vez, com uma ninhada de pequenos gatinhos, fizemos uma corrida com eles. Uma mesa. Três primos. Três gatos. Que ganhe o melhor... E mais uma vez, pobres gatos...

 

Recordo-me que um dia, eu e a S. estávamos a brincar na cozinha dos avós. Atirávamos um pano uma à outra... Até que o pano, foi parar, em cheio, na careca do avô... Parecia a nossa senhora, com um manto na cabeça... Não se chateou, e aquele momento, ainda hoje, vale muitos risos.

 

 

P.S. - Se me lembrar de mais histórias, vou acrescentando a este post!

 

*Post retirado do outro blog

20 comentários

Comentar post